I.A no Agronegócio

Como se não bastasse o envolvimento da tecnologia no nosso cotidiano, no trabalho e no entretenimento, a inteligência artificial vem avançando com sucesso em mais um terreno. O Banco do Brasil mostrou que agronegócio tem se mostrado um campo fértil e favorável ao que as novas tecnologias de análise têm a oferecer. Vem entender essa história!


O desafio de mapear grandes territórios


Sendo o agronegócio um dos principais responsáveis pela movimentação econômica no Brasil, e ocupando 27,4% do PIB brasileiro até 2021 segundo o Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada), é natural que muitos investimentos se voltem para as lavouras, em prol de facilitar e inovar a vida de agricultores. Fazendo uso é claro, do que melhor tem-se a oferecer: a tecnologia.


As demandas desse tipo de atividade se concentram em monitoramento e recolhimento de informações, afinal são territórios vastos demais para uma vigilância recorrente. Esse, era o exato problema das lavouras financiadas pelo Banco do Brasil, a necessidade de fiscalizar os territórios era constante, no entanto o processo de visitas presenciais não era eficiente o suficiente, chegando a alcançar somente 17% dos territórios.


O projeto “Mappiá”


Para pensar na participação da I.A neste projeto, só é necessário avaliar com calma o desafio em levar em conta a importância do agronegócio para o BB. Se o problema se concentrava na falta de alcance para todo o território, o que racionalmente precisaríamos, seriam dispositivos capazes de ter uma visão geral e ampla, para que a área de abrangência fosse muito maior. Por isso a iniciativa de utilizar satélites para recolhimento de informações foi tão assertiva para o BB.


Os satélites são utilizados para captar imagens que serão enviadas para o repositório USGS (Serviço Geológico dos Estados Unidos), onde serão refinadas através da inteligência artificial, que será capaz de expressar em números, informações importantes sobre as variações encontradas nas lavouras. Com isso, após a transferência dos dados para o ambiente do BB, as primeiras observações de melhora que temos é da área de cobertura, que subiu para 99,84% para as plantações de soja e 94% das lavouras de milho.


Um grande impacto para o agronegócio


Apesar das dificuldades que podem ser enfrentadas durante o processo de recolhimento das imagens – pois para o recolhimento, lida-se com fatores naturais como o clima, que pode ocasionar dificuldade na visualização – os ganhos são notórios. Graças ao projeto, o BB será capaz de identificar fraudes que possam estar sendo cometidas através de plantações indevidas, otimizando o tempo e dinheiro gasto para fiscalizações presenciais e evitando riscos. Isso além do reconhecimento e citação na categoria de “Novos modelos de negócios – Faturamento acima de R$ 5 bilhões” durante o Prêmio Executivo de TI do Ano 2022.


A aposta do BB renderá ainda mais frutos, e serve de exemplo para demonstrar que a I.A e a análise de dados pode transpor qualquer limite, não importa o campo de trabalho. A Dataside acredita no poder dos dados e aposta nas tecnologias de Big Data e I.A para alavancar negócios, e trazer resultados equivalentes ao que o BB foi capaz de atingir apenas com a digitalização de um processo. As promessas não ficam apenas em palavras, as estimativas para a I.A em 2022 falam por si só, e a Dataside é uma das empresas que faz parte deste processo, onde cada vez mais negócios e empresas poderão se beneficiar da tecnologia.



O que achou desse caso? Pronto para investir na inteligência artificial e fazer parte disso? Deixe um comentário se essa história foi um estímulo para você, e mande esse conteúdo para o seu amigo gestor que ainda não conhece o poder dos dados. Até a próxima! 💜😎🌱