A desplataformização é uma estratégia indispensável atualmente

Atualizado: 17 de mar.

Você já ouviu falar no termo "desplataformizar"? O “Deplatforming”– em português “desplataformizar” – significa a remoção de uma conta nas redes sociais.

 

Mesmo com evidências que a remoção de contas pessoais, páginas de conteúdos e outros, gere um efeito positivo, há o risco de que quem foi banido migre para outra rede social. Isso pode fazer com que novas comunidades ainda mais radicais, sejam criadas.


Nos Estados Unidos, o ex-presidente Donald Trump teve sua conta suspensa por fazer mau uso. Em seu Twitter, Trump anunciava mudanças sobre seu governo, confrontava e provocava oposições, além de exibir deliberadamente conteúdos falsos para seus mais de 80 milhões de seguidores. O resultado dessas ações? O banimento permanente da plataforma em janeiro deste ano, por ser acusado de promover violência.


A desplataformização vem ganhando mais força por ser uma estratégia que ajuda a enfrentar a desinformação, ainda mais em tempos como os que estamos vivendo, onde as fakes news se fazem muito presentes. Com esse processo é quase que imediato o ato de frear conteúdos enganosos e atingir diretamente o local onde a informação foi criada.


O desplataformização é útil?

No caso do ex-presidente Donald Trump, ela foi muito útil. Segundo um estudo feito pela Zignal Labs, houve uma queda de 73% de posts com informações falsas sobre a eleição americana, isso uma semana após o Trump ter sua conta bloqueada. Além disso, o engajamento de postagens sobre uma suposta fraude eleitoral nas redes sociais despencou de 2,5 milhões para 688 mil posts.


Mas lado a lado da utilidade, está o risco de que o bloqueado migre para outra plataforma. Isso pode gerar um fluxo de novos usuários e comunidades ainda mais radicais, principalmente pelo bloqueio que foi ocasionado. Mas as consequências desse ato ainda são imprevisíveis.


Isso traz um reforço para que as redes sociais criem mecanismos que removam qualquer tipo de discurso de ódio ou com informações falsas. No entanto, o ato de desplataformizar deve ser feito de um modo transparente, sendo um processo democrático.


A desplataformização já acontece há um bom tempo!

A desplataformização é algo que já acontece há algum tempo, mas tomou audiência principalmente pelo caso do ex-presidente americano. O Twitter anunciou que já removeu 70.000 contas que compartilhavam conteúdos perigosos. O YouTube apenas em 2020, removeu mais de 7,8 milhões de canais, 34,7 milhões de vídeos e 4,8 bilhões de comentários de sua plataforma por violação de diretrizes da comunidade.


Mais próximos de nós, no Brasil, aconteceu um caso de desplataformização também. Um canal no YouTube brasileiro foi removido por violar as políticas da rede se envolvendo com fake news.


A desplataformização é uma ótima estratégia para lidarmos com a propagação de discursos de ódio e discursos falsos. Além do benefício do efeito positivo que é gerado, reduzindo o crescimento de novos seguidores, o engajamento em assuntos falsos e diminuindo a produção de conteúdos nocivos.



Acompanhe nosso site e fique por dentro de tudo o que acontece no mundo tecnológico!

 

Gostou do conteúdo? Compartilhe! :)